Postagem em destaque

Contos de Fada Eróticos no Rio de Janeiro: O traficante de Zô - Parte I

Bem-vindo a série de Contos de Fada Eróticos no Rio de Janeiro. Começando com uma adaptação do Mágico de Oz. Obs.: Aviso para quem for fre...

sábado, maio 21, 2016

O desastre de X-Men Apocalipse Sem Spoilers

X-Men Apocalipse é um desastre, e eu já sabia que ia ser assim. Mais um episódio da saga, por favor Fox contrate outra pessoa para fazer esses filmes ou dívida as tarefas com a Marvel. Eu sugiro o diretor do Deadpool. Esse comentário não trará spoilers que já não possam ser vistos nos trailers, que sinceramente já tem o filme inteiro. 

Eu aprendi a ler com os quadrinhos de X-Men e sou um fã dos personagens. Quando foi lançado o primeiro filme, do mesmo diretor do atual, Bryan Singer, foi emocionante ver pela primeira vez esses personagens no cinema. Alguns anos depois, eu já não estava mais tão impressionado assim. Mas eu continuei assistindo, e continuei vendo os mesmo problemas sendo repetidos. Eu aprendi todos os cacoetes do diretor. Então, vamos lá, começando com o vilão, o Ivan Ooze, já que sim, todos os temores que os fãs tinham vendo as fotos do personagem se concretizaram. O Apocalipse desse filme está mais para um vilão dos Powers Rangers que qualquer outra coisa. Ele é um cara baixinho, usando uma roupa de vilão de borracha, de programa infantil, com os poderes infinitos de um deus, porém incrivelmente incompetente usando eles nos seus objetivos. Em falar em poderes, acho que a maioria dos mutantes nesses filmes são poderosos de mais e sem fazer nenhum esforço para isso. Só raras vezes os X-Men dos quadrinhos chegaram a ter poderes quase divinos e quase sempre com graves consequências. É incrível como com tantos poderes o povo desses filmes pode ser tão incompetente e nunca conseguir o que quer. 


O Apocalipse dos quadrinhos é um cara raivoso que pode modificar a massa do seu corpo e dificilmente pode ser ferido, e é isso, todo resto que ele faz é porque em algum ponto da sua vida, ele conseguiu roubar tecnologia avançada de alienígenas. A razão porque ele não domina o mundo com um estalar de dedos e tem de contratar gente para lutar com ele, e ele perde a maioria das batalhas, é porque ele não é um deus onisciente. Já o Ivan Ooze desse filme, tem tantos poderes, que eu sequer entendo quais são e o porquê ele não simplesmente conquista o mundo sentado numa cadeira de praia. Então, vai lá o Ivan Ooze e como também qualquer um pode ver no trailer, junta os seus 4 cavaleiros: Tempestade, Psylocke, Arcanjo e Magneto. E lá vamos nós para o pior dos cacoetes do Bryan Singer, que você verá em todos os seus filmes, personagens mudos olhando sério no canto da tela.  Tempestade, Psylocke e Arcanjo não devem falar mais que umas quatro frases o filme inteiro. 

Sério, você coloca a Olivia Munn para fazer a Psylocke. Veste ela numa roupa que é quase igual a da personagem nos quadrinhos. E meu deus, ela é linda, é um encontro perfeito. E você sabe disso, colocando ela na maioria dos materiais de divulgação do filme. E ela mal aparece no filme, e fica muda 99% do tempo. Foda-se você, Bryan Singer! Sério, você viu o que aquele outro cara fez com o Colossos no filme do Deadpool. Ele também mal aparece no filme, mas quando ele aparece, você sabe quem ele é, você se interessa, e por quê? Por que ele abre a boca e diz coisas de uma forma interessante que revelam a sua personalidade. E isso não é algo muito complicado de ser feito. Se você só sabe escrever falas dramáticas para os três personagens que você gosta: Wolverine, Professor Xavier e Magneto. Contrate outras pessoas mais competentes para escrever a fala dos outros personagens. Você tem muito dinheiro, você pode fazer isso. E isso nem era necessário, era só deixar a Olivia Munn trazer seu charme natural ao filme, em vez de relegar ela ao canto das cenas e séria. A verdade é que o Bryan Singer não gosta de fazer filmes de X-Men, no sentido do grupo de indivíduos X-Men, um grupo de personagens interessantes, com personalidades contrastantes, que trabalham em conjunto. A vida inteira ele só fez um tipo de filme: estudos de personagens masculinos, isolados e traumatizados. Vejam Os Suspeitos, o mais perto que ele chega a um filme de grupo, e são um conjunto de histórias separadas. Os dois primeiros filmes de X-Men foram filmes do Wolverine, os novos foram a relação Professor Xavier e Magneto. 

Mas então, voltando ao filme. Os poucos minutos que temos realmente de X-Men, são a introdução do Ciclope e da Jean Grey na mansão. Essa é uma das únicas partes boas do filme e dura 4 segundos. (A outra é o Mercúrio.) A Sansa Stark com o pouco que lhe é oferecido, assume bem o papel. Na verdade, todo o elenco jovem atua muito bem, especialmente em comparação aos atores da trilogia original. Até a atriz que faz a Tempestade, nas suas quatro frases, vende melhor o personagem que a Halle Berry em 3 filmes. O Noturno é meio emo, mas é satisfatório, dá para sentir pelo menos 1/3 do cômico dos quadrinhos. Já Jubileu aparece uns 4 segundos, é convincente, mas se você já não conhecesse ela, você nem saberia que ela é uma mutante, tem poderes, ou tem qualquer importância. Depois dessas cenas na mansão, sem entrar em spoilers, o que posso dizer é que se segue um oceano de coisas que não fazem o mínimo sentido. Todo elenco não morre, porque um personagem também com poderes quase divinos estava passando ao lado no momento. Um grupo do governo aparece, e você se pergunta, como eles sabiam que tinham de ir lá. Você olha os outros alunos da escola, e diz: uau, a produção não queria gastar um centavo numa maquiagem para fazer essas crianças aparentarem ser mutantes e terem qualquer tipo de poder. E em falar em maquiagem, pela lógica do próprio filme, metade desses personagens tem 50 anos de idade, e eles se importam de fazer eles aparentarem a idade? Não. 

E é isso. Minha esperança para franquia dos X-Men é o filme do Deadpool, a sua continuação, uma série com a X-Force, qualquer coisa que não tenha mais o dedo do Bryan Singer. Torço para que o filme seja um fracasso, mas acho difícil, o povo se satisfaz com um chaveiro brilhante sendo balançado na sua frente se tiver a cara de alguém famoso e explosões. A Marvel em uma única sequência do Capitão América Guerra Civil conseguiu demonstrar mais um trabalho de grupo e caracterização de personagens, que todos os filmes de X-Men juntos. Se é para sair algo desse filme, Fox vocês querem uma franquia? Façam um filme solo da Olivia Munn como a Psylocke, ela é perfeita! Só contratem alguém competente para fazer isso. Chamem o cara que fez Deadpool! 



Comente com o Facebook:

Nenhum comentário: