Postagem em destaque

Contos de Fada Eróticos no Rio de Janeiro: O traficante de Zô - Parte I

Bem-vindo a série de Contos de Fada Eróticos no Rio de Janeiro. Começando com uma adaptação do Mágico de Oz. Obs.: Aviso para quem for fre...

quarta-feira, agosto 17, 2011

Orgasmo Audiovisual - Pílulas: Os Homens que Não Amavam as Mulheres

Os Homens que Não Amavam as Mulheres, A Menina que Brincava com Fogo e A Rainha do Castelo de Ar são uma trilogia de livros de detetive escritas pelo jornalista sueco Stieg Larsson. O começo de uma saga de dez livros, deixada inacabada por sua morte duas semanas depois de ter entregue os três primeiros para seu editor. Todos já adaptados para o cinema na Suécia e já com uma versão americana sendo produzida. Conta a história do jornalista Mikael Blomkvist, editor da revista Millenium, especializada em jornalismo investigativo, desmascarando crimes do governo e de grandes corporações. Uma publicação em compasse com sua versão na realidade: a Expo, editada pelo próprio Stieg Larsson, e dedicada a investigar organizações com tendências fascistas e nazistas operando na Suécia. E a história de Lisbeth Salander, uma hacker, especialista em investigar pessoas, uma garota abusada pelo sistema e pelos homens que trabalham nele, baseada na garota que aos 15 anos de idade, Larsson testemunhou sendo estuprada por uma gangue. O ponto de maior destaque em toda a saga não é em si os casos investigados por Blomkvist e Salander, mas a construção de ambos os personagens, sua determinação por lutar contra o que consideram errado, contra forças acostumadas com o poder. Outro destaque, mais aparente nos livros que nos filmes, é o conhecimento político e econômico de Stieg Larsson, que esmiúça em meio a sua narrativa vastos detalhes do presente e passado de corrupção, conspiração e assassinatos no poder sueco. É interessante em comparação a realidade de crimes e corrupção brasileira, ver o outro lado da moeda, a realidade que exporta as armas que consumimos, e importa nossas escravas sexuais. 

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário: