Postagem em destaque

Contos de Fada Eróticos no Rio de Janeiro: O traficante de Zô - Parte I

Bem-vindo a série de Contos de Fada Eróticos no Rio de Janeiro. Começando com uma adaptação do Mágico de Oz. Obs.: Aviso para quem for fre...

sábado, julho 24, 2010

Livro dos Unicórnios: A Criação

No início não havia nada. E aí houve a batata. E aí houve aqueles que eram eternos: os unicórnios. E eram cinco unicórnios. E se chamavam Arakolyts, Jajatops, Hopuiyu, Gatueus e Raul-Chico. E os unicórnios adoravam a batata. E aí em sua adoração eles criaram a terra para que nela a batata se estabelecesse. E a terra foi criada e sobre ela a batata se estabeleceu. E aí em sua adoração viram que a batata precisava de luz para ser vista. E o céu foi criado e iluminou a batata. E muitas batatas se espalharam pela terra. E os unicórnios acharam pequena sua adoração sobre tantas batatas e decidiram que novos seres deveriam adorar as batatas. E Jajatops sodomizou Arakolyts. E de Arakolyts saíram muitos novos seres na imagem semelhança dos unicórnios. E esses novos seres andaram pela terra e adoraram as batatas. E por muito tempo houve paz e prosperidade no mundo, mas aí um dos unicórnios imagem semelhança dos cinco unicórnios pisou numa batata. E o ultraje se fez. E divisão sobre o destino desse unicórnio surgiu entre os cinco unicórnios.
E Arakolyts, Jajatops e Hopuiyu foram a favor do perdão e de que também poderia se adorar a batata a pisando. E Gatueus e Raul-Chico foram contra, estipulando que não se podia pisar na batata, no máximo só mastigá-la, e todos os unicórnios imagem semelhança dos cinco deviam ser punidos pelas ações de um. E venceu a maioria e distância se fez entre os cinco unicórnios. E Gatueus e Raul-Chico odiaram os unicórnios e decidiram dar vida a novos seres. E assim pegaram um dos unicórnios sua imagem semelhança e o distorceram, tiraram suas patas dianteiras do chão e o fizeram ereto, comprimiram seu focinho para dentro da cara e em suas patas colocaram dedos. E a esse novo ser deram o nome de homem. E o homem logo após ser criado pisou na batata. E revoltados Gatueus e Raul-Chico o pisotearam. E Gatueus e Raul-Chico fizeram um novo homem exatamente igual ao anterior, porém o privaram de suas asas e de seu chifre. E o novo homem adorou a batata e a mastigou. E logo, como os unicórnios, houve muitos homens sobre a terra. E houve paz e prosperidade, mas aí um homem comeu um unicórnio. E Arakolyts, Jajatops e Hopuiyu, que até então aceitaram a criação de seus irmãos, se revoltaram e desejaram a destruição do homem. E Gatueus e Raul-Chico se recusaram a destruir a sua criação. E a maioria venceu, o homem foi destruído e Gatueus e Raul-Chico foram banidos da convivência com os seres da terra. E muito tempo se passou. E Arakolyts, Jajatops e Hopuiyu se apaziguaram na sua fúria pela morte do unicórnio sua imagem semelhança. E Gatueus e Raul-Chico foram mais uma vez aceitos na convivência com seus irmãos. E depois de muito tempo isolados na escuridão, Gatueus e Raul-Chico mais uma vez entre seus irmãos se encontraram, porém voltaram com rancor. E Gatueus enfiou seu chifre pelo olho de Jajatops quando este estava sozinho. E o cérebro de Jajatops jorrou por seu buraco de olho. E então só houve quatro unicórnios. E Raul-Chico criou um novo homem, igual aos que haviam sido destruídos, mas quatro vezes maior em tamanho que o anterior. E Raul-Chico o chamou de Gogaron e o mandou comer Hopuiyu. E Gogaron comeu Hopuiyu. E então só houve três unicórnios. E Arakolyts fugiu para escuridão antes que pudesse ser executado por seus irmãos. E Gatueus e Raul-Chico recriaram o seu homem original e o espalharam pela terra. E Gatueus e Raul-Chico privaram os unicórnios sua imagem semelhança de suas asas e de seu chifre e os chamaram de cavalos. E os cavalos foram entregues aos homens como escravos. E houve por muito tempo a paz e a prosperidade, mas aí Gogaron, o homem maior que todos, se sentiu sozinho e culpou os unicórnios por sua solidão. E Gogaron, o homem maior que todos, se revoltou e comeu Gatueus. E Raul-Chico fugiu desesperado de sua própria criação, agora feita tão poderosa com dois de seus irmãos no estômago. E Arakolyts retornou e prometeu acabar com a solidão de Gogaron. E Arakolyts pegou um homem, lhe deu tetas e um buraco, e o chamou de mulher. E muitas mulheres foram oferecidas a Gogaron. E Gogaron se apaziguou e se tornou o líder dos homens. E Arakolyts, satisfeito com seu trabalho, também fez mulheres dos cavalos e as chamou de éguas. E Raul-Chico voltou e, para estabelecer seu poder, criou outros tipos de seres a partir dos cavalos e dos homens. E Arakolyts fez o mesmo. E houve paz e prosperidade nessa terra cheia de seres diferentes, mas aí Liliana, uma das amantes de Gogaron, sussurrou em seu ouvido. E Gogaron escutando o sussurro decidiu que era muito pouco só ser líder dos homens num mundo cheio de tantos seres, decidiu que devia ser líder de mais. E Gogaron comeu Arakolyts e Raul-Chico. E Gogaron se tornou o único ser supremo de tudo que é. E Gogaron mastigou a batata. E Gogaron adorou a batata.
  

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário: